Top Ad 728x90

15 de mar de 2017

Campanha nacional vai incentivar vacinação de adolescentes nas escolas

Parceria entre Ministério da Saúde e da Educação vai possibilitar vacinação contra HPV e meningite C nas escolas.

Publicidade

Parceria entre Ministério da Saúde e da Educação vai possibilitar vacinação contra HPV e meningite C nas escolas.


52% dos municípios brasileiros estão com cobertura vacinal de HPV muito baixa – Reprodução
52% dos municípios brasileiros estão com cobertura vacinal de HPV muito baixa – Reprodução
Uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação vai incentivar a vacinação contra HPV e meningite C de adolescentes nas escolas em todo o país. A iniciativa busca aumentar a adesão às vacinas. Segundo o Ministério da Saúde, 52% dos municípios brasileiros estão com cobertura vacinal de HPV muito baixa.

A parceria foi anunciada em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (15). Cada estado deve avaliar suas condições de implementar a vacinação no ambiente escolar, por isso não haverá um calendário nacional único de vacinação nas escolas. Os dois ministérios garantiram que passarão a articular constantemente com municípios e estados para estimular a adesão dos estabelecimentos de ensino. A expectativa das pastas é que exista uma grande adesão das escolas municipais, estaduais e particulares à campanha.

Para se aproximar do mundo dos adolescentes, a campanha incluiu o lançamento de um game chamado "Detona Vírus", que poderá ser baixado gratuitamente. Ainda como parte da campanha, o Ministério da Saúde vai fornecer materiais sobre HPV e meningite C às escolas: professores, alunos e famíliares receberão cartas para conscientizar sobre a importância da vacinação. Os ministérios estudam também que os sistemas de ensino passem a exigir a carteira de vacinação dos alunos.

HPV


A vacina de HPV está disponível no SUS para meninas de 9 a 14 anos e para meninos de 12 a 13 anos. O esquema vacinal é de 2 doses com intervalo de 6 meses. Este é o primeiro ano em que meninos passam a fazer parte do público-alvo da vacina. Estudos feitos em outros países que já adotaram a vacinação de meninos mostram que a inclusão dos meninos contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino.

Além disso, os próprios meninos serão beneficiados, já que a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais, problemas também relacionados ao vírus.

O HPV é um vírus que pode causar câncer do colo do útero e verrugas genitais. Ele é altamente contagioso, e a sua transmissão acontece principalmente pelo contato sexual. A vacina distribuída no SUS é quadrivalente, ou seja, protege contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. Dois deles (o 6 e o 11), estão relacionados com o aparecimento de 90% das verrugas genitais. Os outros dois (o 16 e o 18) estão relacionados com 70% dos casos de câncer do colo do útero.


Meningite C


Já a vacina contra meningite C era oferecida, até o ano passado, em duas doses aos 3 e 5 meses de idade, com um reforço aplicado até 2 anos de idade. A partir deste ano, o Ministério da Saúde incluiu um reforço da vacina para adolescentes de 12 a 13 anos.

A inclusão dos adolescentes no público-alvo da vacina contra meningite C ocorreu, segundo o Ministério da Saúde, porque pode haver uma diminuição da proteção contra a doença com o passar dos anos, após a imunização feita na infância.

0 comentários:

Postar um comentário

Top Ad 728x90