Top Ad 728x90

13 de abr de 2017

Saiba como evitar o mau hálito

Cerca de 60 milhões de brasileiros sofrem com o mau hálito. Saiba como evitá-lo.

Publicidade

Cerca de 60 milhões de brasileiros sofrem com o mau hálito. Saiba como evitá-lo.


 90% dos casos de halitose podem ser atribuídos a problemas gengivais – Reprodução
90% dos casos de halitose podem ser atribuídos a problemas gengivais – Reprodução
Causado por doenças bucais como a periodontite, além de hábitos alimentares ruins e redução da produção salivar, o mau hálito afeta cerca de 60 milhões de brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Halitose (ABHA). De acordo com o dentista João Paulo Pinto (CRORS 12928), os principais estudos sobre o problema apontam que 90% dos casos de halitose podem ser atribuídos a problemas gengivais, como a periodontite, e à saburra língua, que é o acúmulo de bactérias na língua.

Cultive hábitos alimentares recomendados pelos nutricionistas

Para manter um corpo saudável, nutricionistas recomendam uma refeição a cada três horas. Esta rotina também pode servir para a reduzir o mau hálito. De acordo com o profissional, ficar um período maior que o recomendado sem comer faz com que gases malcheirosos sejam exalados pelo pulmão, causando halitose. "Quando você fica muito tempo sem se alimentar, o corpo busca reservas de energia no próprio organismo. Este processo de transformar gordura em energia libera gases cetônicos na corrente sanguínea pulmonar, que geram mau hálito", afirma o dentista.

Excesso de alimentos com enxofre pode causar o mau hálito

A alimentação também pode ser causa ou agravante do mau hálito. Embora ajude a combater bactérias e seja uma proteção natural contra substâncias tóxicas, o enxofre dos alimentos pode ser um gatilho para o mau hálito. "Comidas como alho, cebola, além de deixarem cheiro na boca, estimulam um processo de digestão que fará com que o hálito exalado pelos pulmões venha com partículas de enxofre até 20 horas após o consumo", afirma o dentista.

Utilize os antissépticos adequados

Existem diversos tipos de enxaguantes bucais, com diferentes composições e funções. Os mais adequados para o combate ao mau hálito são os que contêm peróxido de hidrogênio e clorexidina nas composições. Caso a halitose seja originária de uma complicação mais grave, com periodontite ou diabetes, é recomendável uma consulta odontológica para traçar o melhor tratamento.

Pouca produção de saliva pode ser contornada com o consumo de água

A baixa produção de saliva também pode causar halitose. A redução salivar pode causar mau hálito, pois a saliva atua como uma protetora da cavidade bucal. A mucosa bucal ressecada faz com que pequenos pedaços internos da própria boca caiam sobre a língua, servindo de alimento para bactérias que causam o mau hálito. O consumo de água é a iniciativa mais indicada para reduzir a secura e estimular a produção de saliva, além do consumo de alimentos com glicose, como chicletes e balas.

Use o fio dental todos os dias

As causas mais comuns para o surgimento do mau hálito são a saburra lingual e doenças causadas por infecções como a gengivite e a periodontite. Para evitar que a gengiva inflame, é preciso fazer uso diário do fio dental, limpando as áreas mais suscetíveis ao acúmulo de placas bacterianas.

0 comentários:

Postar um comentário

Top Ad 728x90