Top Ad 728x90

11 de mai de 2017

Papa Francisco vai canonizar crianças pastoras de Fátima

Cidade portuguesa deve receber até 1 milhão de pessoas no fim de semana para a canonização de duas das três crianças que, segundo a crença popular, viram a Virgem Maria.

Publicidade

Cidade portuguesa deve receber até 1 milhão de pessoas no fim de semana para a canonização de duas das três crianças que, segundo a crença popular, viram a Virgem Maria.


 A Igreja está muito atenta à vitalidade da religiosidade popular em milhões de fiéis – Reprodução
A Igreja está muito atenta à vitalidade da religiosidade popular em milhões de fiéis – Reprodução
O papa Francisco fará uma peregrinação na sexta-feira (12) a Fátima, Portugal, local de grande fervor popular que receberá até 1 milhão de fiéis para a canonização de duas das três crianças pastoras que afirmaram ter testemunhado seis aparições da Virgem Maria há cem anos.

À espera de sua chegada, as autoridades portuguesas reforçam a segurança, conscientes do grande número de fiéis que devem acompanhar a visita do pontífice.

Uma multidão de 400 mil peregrinos de todo o mundo deve se reunir na grande esplanada da Basílica de Fátima para a passagem do "papamóvel" na tarde de sexta-feira, enquanto milhares de pessoas terão que acompanhar as cerimônias em um telão.

A pequena cidade de 12 mil habitantes receberá no fim de semana 40 mil pessoas que chegarão a pé, 2 mil jornalistas, 100 grupos de peregrinos, 2 mil padres, 71 bispos, oito cardeais e 350 enfermos, informou Carmo Rodeia, diretora do santuário.

Muitos peregrinos irão de outros continentes, especialmente da América Latina, mas também da Ásia. A população portuguesa (10,3 milhões de pessoas, 89% delas católicas) terá grande representação e, por este motivo, o papa vai falar em português.

Após sua chegada, Francisco seguirá para a Capelinha das Aparições, construída no local onde, segundo a crença popular, a Virgem apareceu pela primeira vez, em 13 de maio de 1917, aos três pastorzinhos.

A mãe de Jesus teria aparecido em seis ocasiões, entre maio e outubro de 1917, aos irmãos Jacinta (7 anos) e Francisco (9) Marto e a sua prima Lucia dos Santos (10), a quem revelou três "segredos", que a Igreja Católica considerou como proféticos da história do século 20. Jacinta e Francisco foram beatificados por João Paulo II em Fátima em 13 de maio de 2000. Desde 2008, o Vaticano pretende beatificar Lucia dos Santos, que se tornou freira e morreu em 2005.

Religiosidade popular

As revelações reportadas pelas três crianças, assim como os milagres que permitirão ao papa canonizar no sábado os irmãos Francisco e Jacinta, não constituem dogma, ou seja, não existe a obrigatoriedade de que todos os católicos acreditem. Mas a Igreja está muito atenta à vitalidade da religiosidade popular em milhões de fiéis. 
"A Igreja deve partir das experiências das pessoas. Se não o faz, teria uma posição absolutista, um magistério abstrato", explica o professor de Teologia Ermenegildo Manicardi.

A Santa Sé, por exemplo, demonstra ser muito reticente em reconhecer as supostas aparições constantes da Virgem há três décadas em Medjugorje (sul da Bósnia e Herzegovina), apesar de ter deslocado um enviado especial para conhecer "as necessidades" de 1 milhão de peregrinos que visitam anualmente o local.

As revelações sobrenaturais a fiéis são igualmente consideradas pela Igreja Católica como "uma ajuda" possível para a vida espiritual em momentos difíceis.
De fato, as aparições de Fátima aconteceram durante a Guerra Mundial e após sete anos de perseguições violentas contra a Igreja em Portugal, país que se tornara laico e anticlerical, recorda Carlos Alberto de Pinho Moreira Azevedo, do Conselho Pontifício da Cultura do Vaticano.

0 comentários:

Postar um comentário

Top Ad 728x90