Top Ad 728x90

12 de mai de 2017

Saiba por que a música perde a graça quando você escuta muitas vezes

Quem nunca ficou cantando uma música, enquanto jurava ser essa a que representava a sua vida até ela se tornar 'só' legal. Mas você sabe por que isso acontece? Entenda.

Publicidade

Quem nunca ficou cantando uma música, enquanto jurava ser essa a que representava a sua vida até ela se tornar 'só' legal. Mas você sabe por que isso acontece? Entenda.


 Descubra por que a música que você tanto gostava acabou se tornando enjoativa – Reprodução
Descubra por que a música que você tanto gostava acabou se tornando enjoativa – Reprodução
Quem nunca ficou cantando uma música em looping enquanto jurava ser essa a que representava a sua vida até... ela se tornar 'só' legal. O próximo passo é a obra se juntar a outras milhares de canções que você enjoou simplesmente por escutá-las demais. Mas você sabe por que isso acontece? 

Entenda:

A CULPA É DO CÉREBRO

Ninguém sabe exatamente o motivo de o cérebro rechaçar uma música após ela ser escutada repetidas vezes, mas existem algumas teorias a respeito, como apontou o tabloide britânico "The Independent". Em primeiro lugar, os neurocientistas acreditam que o nosso cérebro passa por dois estágios quando escutamos uma música que nos toca de alguma forma. A área do cérebro responsável pela memória antecipa a animação que sentimos na nossa parte favorita da música entes mesmo que ela toque. Enquanto aquela que cuida do prazer libera endorfina na parte mais emocionante da canção. O que os cientistas acreditam é que quanto mais conhecemos uma música menos o nosso cérebro vai antecipar esse 'pico de felicidade'.

"Há duas razões principais para a música se tornar chata e ser jogada para escanteio", explica o psicólogo de música Michael Bonshor ao "The Independent". "A primeira é a superexposição ao som. Experimentos mostraram que a apreciação diminui uma vez que a novidade da música esfriou e que normalmente ficamos entediados quando o som se torna familiar demais", afirma.

COMPLEXIDADE IMPORTA

Outro quesito importante é a complexidade da música. O psicólogo explica que quanto mais coisas estiverem ocorrendo em uma canção mais provável será de o cérebro transmitir os sinais certos.

BOHEMIAN RHAPSODY

"A longa popularidade da música pode ser parcialmente explicada pelas suas camadas harmônicas e complexo vocal", defende o psicólogo, acrescentando que a canção teve uma abordagem pioneira que não seguia as normas de quando foi lançada.

"Ao mesmo tempo, 40 anos depois ainda é uma das músicas mais populares do Queen, tendo alcançando o posto de mais tocadas algumas vezes, e regularmente figurando em listas contemporâneas de músicas mais influentes da história recente. Em contraste há incontáveis sons 'chiclete', com estruturas simples e poucas camadas musicais que rapidamente são esquecidas, apesar de alcançarem uma curta popularidade. Isso ocorre porque embora elas sejam imediatamente acessíveis também são mais previsíveis e menos satisfatórias em muitos níveis", completa Bonshor.

0 comentários:

Postar um comentário

Top Ad 728x90