Denúncia contra temer chega à câmera de deputados


Publicidade

Pelo regimento da Câmara, o primeiro secretário da mesa, notificará Temer sobre a chegada da denúncia.


O julgamento de um presidente deve ser feito no Supremo Tribunal Federal – Reprodução
O julgamento de um presidente deve ser feito no Supremo Tribunal Federal – Reprodução
Sem a presença do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o diretor-geral do Supremo Tribunal Federal (STF), Eduardo Silva Toledo, protocolou na manhã desta quinta-feira, 29, na Câmara dos Deputados a denúncia por corrupção passiva, feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR), contra o presidente Michel Temer (PMDB). O processo foi recebido pelo secretário-geral da mesa diretora da Casa, Wagner Padilha.

Pelo regimento da Câmara, o primeiro secretário da mesa, Fernando Giacobo (PR-PR) notificará Temer sobre a chegada da denúncia. A partir da notificação, o presidente terá prazo de 10 sessões plenárias para se defender na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caberá a essa comissão apreciar a admissibilidade do pedido da PGR. Concomitantemente à notificação de Temer, a denúncia terá de ser lida no plenário da Casa. Essa tarefa é da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO), que é segunda secretária da mesa.

Com a chegada da denúncia à Câmara, a expectativa agora é para o anúncio do relator do processo. O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), já sinalizou que não indicará um aliado do governo para a função.

O julgamento de um presidente deve ser feito no Supremo Tribunal Federal (STF), porém, o processo só pode ser aberto após autorização no plenário da Casa. Ao menos dois terços dos parlamentares isto é, 342 parlamentares - precisam votar favoráveis à abertura.

Recomendamos para você »

Política 1299742207990774060
Reaja! Comente!

Postar um comentário

emo-but-icon

Curta nossa Página

Publicidade

Recicla Net Pousada Vitor & Vitoria WhatsApp do S1 Notícias

Canal S1 Gamer

Mais Lidas

Receba noticias em seu E-mail

Publicidade

item