Conheça a história da princesa Qajair “símbolo de beleza e perfeição” A princesa Qajair pode ter tido 145 pretendentes da alta nobreza e 13 deles tiraram a vida por causa da sua rejeição. Será que essa história é verdadeira?

Princesa "Qajair" - Foto: Reprodução

Princesa “Qajair” – Foto: Reprodução

As fotos antigas de uma mulher se espalharam em diversas publicações nas redes sociais em setembro de 2017 e deixou muita gente curiosa. Juntamente com as imagens, um texto afirmava que essa mulher seria uma princesa iraniana, que teve mais de 100 pretendentes e que, por ser considerada um símbolo de perfeição e de beleza,13 homens da alta nobreza teriam se matado após terem sido rejeitados por ela!

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Qajair ou Kayar (dependendo da tradução) não é o nome da mulher, mas de uma dinastia da qual ela fazia parte. Esse era a família real iraniana que liderou a nação entre 1785 e 1925. Um dos reis do território persa foi Naser al-Din Sah Kayar(liderou de 1848 a1896) e a princesa que aparece nas fotos compartilhadas foi Zahra Khanom Tadj es-Saltaneh.

Não há registros confirmando que Zahra teve mesmo 145 pretendentes e tampouco que 13 deles cometeram suicídio!

Considerada muito à frente de seu tempo, ela foi considerada uma feminista e lutou pelos direitos das mulheres iranianas. Teve quatro filhos e se divorciou (algo muito fora dos padrões na época), além de ser a musa inspiradora do poeta Aref Qazvini.

Princesa "Qajair" - Foto: Reprodução

Princesa “Qajair” – Foto: Reprodução

Zahra Khanom Tadj es-Saltaneh foi pintora, escritora e uma das primeiras mulheres do país a usar roupas ocidentais.

Além disso, ela criou a Women’s Freedom Society e sua vida tem sido objeto de estudo nas universidades locais e no exterior.

O site Tikitakas afirma que não se pode ter certeza se todas as fotografias associadas a ela são da mesma pessoa (ou uma junção de fotos de mulheres parecidas), a confusão se deve porque algumas publicações misturam fotografias da própria Zahra com uma das esposas do rei Nasereddin. Graças ao rei e à sua paixão pela arte da fotografia, é possível saber que naquela época, as mulheres mais “cheiinhas” e com um bigodinho eram consideradas como exemplos de beleza.

Segundo o site russo Novaya Gazeta, as mulheres eram forçadas a comer constantemente e evitar se moverem para que ganhassem o máximo de peso!!!

O Novaya também conta outra curiosidade: O rei Nasser também visitou a Rússia quando viu o balé pela primeira vez e ficou tão impressionado com essa dança que, ao chegar em casa, ordenou a todas as suas esposas que passassem a usar somente esse tipo de saias, parecidas com as das bailarinas:

Princesa "Qajair" - Foto: Reprodução

Princesa “Qajair” – Foto: Reprodução

Conclusão

As fotos espalhadas são associadas à Zahra Khanom Tadj es-Saltaneh (misturadas com fotos de uma das “mães” dela)! Não há registros de que ela tenha recebido mais de 100 pretendentes, mas sua fisionomia era considerada bela para a época! Além de um rosto bonito e de um corpo cobiçado na época, ela foi considerada uma mulher muito à frente do seu tempo que lutou muito pelos direitos das mulheres iranianas!

Fontes: E-farsas/ S1 Notícias