Juntamente com o sucesso, vieram os suicídios em escala – Foto: Reprodução

Juntamente com o sucesso, vieram os suicídios em escala – Foto: Reprodução

“O domingo é sombrio. Minhas horas são insones. As sombras com as quais eu convivo são inúmeras”. Esses versos fazem parte de uma música chamada “Gloomy Sunday” (Domingo Sombrio), uma música depressiva daquelas de cortar os pulsos, muito mais triste que várias músicas de sertanejo por aí, aliás, essa música é considerada uma das mais tristes da história.

A história dessa música começa na Hungria, ainda em 1933, quando um compositor chamado Rzso Seress transformou as suas lamentações sobre a sua vida em uma canção suicida. Existem alguns boatos que dizem que ele teria acabado de terminar um namoro, já outros dizem que foi o fracasso da sua carreira como músico, e outros ainda culpam a sua história de vida pelo fato dele ter sido soldado durante a guerra e ter visto várias desgraças acontecerem. Bom, a verdade é que ninguém sabe o que realmente aconteceu para uma pessoa escrever uma música tão triste assim.

Nos primeiros dois anos de Gloomy Sunday a canção ainda não tinha emplacado. No entanto, depois de ser regravada por Pál Kálmar, a música tomou conta da Hungria. Juntamente com o sucesso, vieram os suicídios em escala, que aconteciam em todo o país, por fim acabaram por confirmar 100 suicídios motivados pela canção, incluindo a do próprio compositor e de sua ex-namorada.

Segundo contam, o compositor tentou reconciliar o namoro com a mulher que ele era apaixonado depois que a música explodiu, mas não demorou muito para que ela se matasse envenenada. Ao que tudo indica, foi a canção que a levou a cometer suicídio, já que um pedaço de papel com a letra da música estava ao lado do seu cadáver quando foi encontrado.

O fato da música ter sido banida da Hungria só aumentou o interesse das pessoas por ela – Foto: Reprodução

O fato da música ter sido banida da Hungria só aumentou o interesse das pessoas por ela – Foto: Reprodução

Depois desse triste acontecimento, Sress realmente não tinha motivos para viver e em 1968, e ele tentou se matar pulando da janela de seu apartamento. Ele não morreu, mas ele estava realmente a fim de se matar e acabou se enforcando com uma corda quando estava no hospital.

O fato da música ter sido banida da Hungria só aumentou o interesse das pessoas por ela. Em 1936 ela foi traduzida e regravada em inglês e, em 1941 ela finalmente tomou conta de todas as vitrolas nos EUA. No link abaixo vocês pode conferir essa tal música do suicídio:

Gloomy Sunday é muitas vezes lembrada até nos dias de hoje como a música húngara do suicídio, e em 1999 ela foi usada na trilha sonora de um filme alemão chamado “Domingo Sombrio – uma música de amor e morte”, cujo enredo falava de um triângulo amoroso.

Mas não foi só essa obra que fez com que pessoas cometessem suicídios. Johann Wolfgang Goethe (1749-1832) foi um escritor muito importante que em 1774 lançou um romance chamado “Os Sofrimentos do Jovem Werther”, sendo muito profundo, onde por meio de cartas do personagem principal, se acompanhava a angústia do narrador crescer a cada desencontro e encontro com sua amada.

O problema é que muitos suicídios foram atribuídos a esse livro. Na tradução do livro, o tradutor da obra Marcelo Backes, conta na introdução do livro a seguinte história: “Werther foi um testemunho de como a literatura tinha poder de agir na sociedade. Não foram poucos os suicídios atribuídos ao romance. O bispo Lorde Bristol chegou a acusar Werther de ser uma obra imoral, que levava os jovens a se suicidarem.” Outra curiosidade da obra é que a obra foi escrita em apenas quatro semanas. Com 216 páginas, o romance parece ser bem interessante para quem é fã de literatura.

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.