Conteúdo: Leitura e Escrita- Reescrita

Competências:

• Ampliar a competência comunicativa do aluno.

• Utilizar diferentes linguagens e diferentes tipologias textuais.

• Demonstrar capacidade de reflexão sistemática sobre a língua e a linguagem….

Habilidades:

• Interpretar textos orais a partir de histórias ouvidas.

• Ler e reconhecer os diversos gêneros textuais no contexto social.

• Emitir opinião e fazer comentários pessoais.

• Conhecer o alfabeto e a representação escrita de cada letra identificando-as na

formação da palavra.

• Reescrever textos lidos e ouvidos identificando os diferentes tipos de letra.

• Compreender o valor sonoro das letras (grafemas/fonemas).

• Reconhecer que a escrita é composta de símbolos e sinais diferentes.

• Compreender que a escrita se dá da esquerda para a direita e de cima para baixo.

Conteúdos:

• Produção de diversos genros textuais.

• Atividades reflexivas de produção textual – reescrita e autocorreção de texto.

• Direção e alinhamento da escrita na página.

• Segmentação das palavras no texto.

• Diferenciação das formas, sons e nomes das letras do alfabeto.

• Pontuação, paragrafação e margem.

Tempo de duração: 5 aulas

Maria Cardoso, Ana Ronilce Ramos Alexandrino Hond, Alzemia S. Velten, Leda Izabel Vitório,

Elainy Zavarize Dala Costa. Conversando sobre: Conversando sobre:

Roda de conversa

Explique para os alunos o que é fábula:

As fábulas são contos tradicionais, transmitidos oralmente, que sempre trazem uma lição de

vida para os leitores. Em muitas fábulas encontramos a presença de animais.

Sugestões de fábulas

A cigarra e a formiga.

O lobo e o burro

O corvo e o jarro

A gansa dos ovos de ouro

O leão e o mosquito

O cão e o osso

A rã e o touro

O ratinho, o gato e o galo

Os viajantes e o urso

O galo e a raposa

1ª aula

A forma gráfica da escrita, citando Cagliari, comporta pelo menos dois tipos: o maiúsculo e o

minúsculo. E a diferença pictórica entre A e a a a a é tão grande quanto a que existe entre um triângulo e um círculo: em vários livros didáticos encontram-se, em uma única página, vários tipos de escrita, sem a menor explicação, como se tudo fosse a mesma coisa.

A direção da escrita implica entender como a língua se organiza, por isso, o estudante faz seus

primeiros registros (garatujas ou movimentos de escrita) sem a preocupação com a direção. É na escola que a convenção é internalizada, no uso de signos lingüísticos da esquerda para a direita e de cima para baixo. (Caderno Pedagógico – SEMEC)

Devem ser proposta atividades de escrita de forma sistemática e diversificada. Nessa fase os alunos poderão produzir textos oralmente e no coletivo da turma (recontos de histórias ouvidas, convites, bilhetes, listas, etc.) tendo o professor como escriba. Ao escrever no quadro, o alfabetizador deve discutir com seus alunos todas as decisões tomadas: relativas às direções e alinhamento da escrita, passando pela própria escrita das palavras, até a construção do gênero textual. Os alunos devem ser incentivados a produzir frases e pequenos textos, cabendo ao professor orientar este processo.

(revista do Educador, 2009 – PAEBES) Atividade de leitura e escrita Atividade de leitura e escrita

No cantinho da leitura:

• Exponha em um cartaz a lista de fábulas (trabalhar a direção da escrita, o espaçamento,

letra maiúscula e minúscula e a leitura dos títulos);

• Disponibilize várias cópias de fábulas para leitura dos alunos;

• Distribua a lista de fábulas para cada aluno para que os mesmos marquem as que já

foram lidas e possam acrescentar outras.

Leitura da fábula: 

Apresente o texto que deve estar escrito em letra caixa-alta em papel bobina e afixado na sala.

Faça a leitura apontada do texto, destacando o espaçamento entre as palavras e a direção da

escrita.

O leão e o rato O leão e o rato

Um leão cansado de tanto caçar,

Dormia espichado à sombra de uma boa árvore.

Veio uns ratinhos passear em cima dele e ele acordou.

Todos conseguiram fugir, menos

Um, que o leão prendeu embaixo de sua pata.

Tanto o ratinho pediu e implorou que o leão

Desistiu de esmagá-lo, e deixou que fosse embora.

Algum tempo depois, o leão ficou preso

Na rede de uns caçadores.

Não conseguia se soltar, e fazia a floresta

Inteira tremer com seus urros de raiva.

Nisso apareceu o ratinho.

Com seus dentes afiados, roeu

As cordas e soltou o leão.

 Moral da história: uma boa ação ganha à outra.


 Fonte: alfabetização- caderno do educador- projeto fundesescola/self-mec, 2007 Apresentando o autor: Apresentando o autor: presentando o autor:

Questione os alunos:

• Por onde eu começo a ler o texto?

• Quando termino de ler uma das linhas do texto, para onde devo dirigir meu olhar para continuar lendo?

• Cada vez que aponto no texto estou lendo uma palavra?

• Observem que as palavras não estão escritas juntas. O que as separa?

• Para quem vocês acham que o autor escreveu este texto?

• Com que intenção ele escreveu esse texto?

• Qual o assunto principal?

• Do que fala esta fábula?

• O que você mais gostou na fábula?

• Se você fosse modificar a fábula o que você faria?


Produção de texto

Organizar os alunos em duplas e solicitar que procedam a reescrita da fábula.

Circular na sala para observar a grafia das palavras e em seguida, solicitar que a dupla pesquise

no dicionário a grafia correta.

2ª aula

Esopo era um lendário autor grego, que teria vivido na antiguiade, ao qual se atribui a paternidade da fábula como gênero literário. As Fábulas de Esopo serviram como base para recriações de outros escritores ao longo dos séculos, como Fedro e La Fontaine.

Esopo teria sido um escravo, libertado pelo seu dono, que ficou encantado com suas fábulas. Ao que tudo indica, viajou pelo mundo antigo e conheceu o Egito, a Babilonia e o Oriente.

Foi-lhe atribuído um conjunto de pequenas histórias, de carácter moral e alegórico, cujos papéis principais eram desenvolvidos por animais. Na Atenas do século V a.C., essas fábulas eram conhecidas e apreciadas.

As fábulas que lhe são atribuídas sugerem normas de conduta que são exemplificadas pela ação dos animais (mas também de homens, deuses e mesmo coisas inanimadas).

Esopo partia da cultura popular para compor seus escritos. Os seus animais falam, cometem erros, são sábios ou tolos, maus ou bons, exatamente como os homens. A intenção de Esopo, em suas fábulas, era mostrar como os seres humanos podiam agir, para bem ou para mal.As fábulas de Esopo faziam parte da tradição oral dos gregos, por isso não foram escritas pelo seu suposto autor. Mais de duzentos anos depois da suposta morte de Esopo é que as fábulas foram reunidas e escritas. Reapresentar o cartaz com a fábula O leão e o rato e realizar a leitura.

Refletir com os alunos:

• A moral da fábula: uma boa ação ganha à outra. O que podemos entender dessa

afirmação? Registre a conclusão da turma e peça que os alunos o escrevam no caderno.

Atividade coletiva

Elabore com a turma uma lista com nomes de animais e registre no quadro. Peça para os

alunos copiarem a lista elaborada e circularem os nomes que aparecem na fábula.

PATO CACHORRO

RAPOSA RINOCERONTE RAPOSA RINOCERONTE 

LEBRE LEÃO LEBRE LEÃO

COBRA GATO COBRA GATO

RATO GIRAFA RATO GIRAFA

Atividade em grupo

Com o alfabeto móvel peça para montarem as palavras.

Entregue cópias aos alunos da atividade abaixo.

Numere as frases de acordo com os acontecimentos da fábula:

 O leão deixou que o ratinho fosse embora.

 O ratinho roeu a corda e soltou o leão.

 O leão acordou com os ratinhos em cima dele.

 O leão prendeu um ratinho com sua pata.

 A rede dos caçadores prendeu o leão.

 O leão dormia espichado à sombra de uma árvore.

Caça—-palavras: palavras:

Ambiente alfabetizador: fazer da sala de aula um  Ambiente alfabetizador: paço em que ricos estímulos de aprendizagem estejam sempre presentes. É um ambiente que promove um conjunto de situações de uso real de leitura e de escrita. Um ambiente alfabetizador é aquele que tem diferentes tipos de textos que são consultados frequentemente, com diferentes funções sociais. Devem ser substituídos de acordo com sua funcionalidade, além de estarem ao alcance do grupo.

Atividades significativas: para uma alfabetização d Atividades significativas e qualidade é necessário propor atividades de leitura e escrita que fazem sentido para as crianças, contextualizada e de acordo com a realidade social dos educandos.

Autoestima: o trabalho de autoestima dos educandos Autoestima é outro fator relevante em qualquer aprendizagem.

as mediações, as intervenções e atividades necessárias para se obter sucesso no processo de

alfabetização e o resultado será bastante compensador.

Encontre e escreva as palavras:
 LEÃO, RATO, CAÇADORES, DENTE, PATA, FLORESTA,

ÁRVORE, REDE, RATINHO.

_________________________________

_________________________________

_________________________________

_________________________________

_________________________________

_________________________________

_________________________________

_________________________________

C A Ç A D O R E S B U

X P U L E Ã O Q A T B

I O P U N R E D E X O

G I P A T A D R S G I

F L O R E S T A B O J

Á R V O R E U T D C I

H R A T I N H O E V J

 Atividade de casa

Peça para os alunos conversarem em casa com a família sobre a fábula O leão e o rato e o que

ela ensina. Registre no caderno o que foi conversado com a família.

Fazer por escrito pesquisa com a família: qual fábula eles conhecem e o que ensina essa

fábula?

Roda de conversa Roda de conversa

Socializar a pesquisa feita em casa.

No papel bobina peça para os alunos colarem as figuras dos bichos junto com a pesquisa das

fábulas e afixe na parede da sala de aula ou no corredor da escola.

Atividade de leitura: Atividade de leitura:

Apresentação da fábula A cigarra e a formiga


3ª aula

Apresentado o autor:  

Jean de La Fontaine foi um poeta e fabulista francês.

Em 1668 foram publicadas as primeiras fábulas, num volume intitulado “Fábulas Escolhidas”. O livro era uma coletânea de 124 fábulas, dividida em seis partes. La Fontaine dedicou este livro ao filho do rei Luís XIV. As fábulas continham histórias de animais, magistralmente contadas, contendo um fundo moral. Escritas em linguagem simples e atraente, as fábulas de La Fontaine conquistaram imediatamente seus leitores.

Questione os alunos:

• O que a cigarra fez durante o verão? E a formiga?

• O que você achou da atitude da formiga com relação à cigarra?

• Para quem vocês acham que o autor escreveu este texto?

• Com que intenção ele escreveu esse texto?

Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo bosque, sem se preocupar com futuro.

Esbarrando numa formiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou:

- Ei formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para a gente aproveitar! O verão é para a gente se divertir!

- Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para o inverno.

Durante o verão a cigarra continuou se divertindo e passeando por todo bosque.

Quando tinha fome, era só pegar uma folha e comer.

Um belo dia passou de novo perto da formiguinha carregando outra pesada folha.

A cigarra então aconselhou:

- Deixe esse trabalho para as outras! Vamos nos divertir. Vamos, formiguinha, vamos cantar! Vamos dançar!

A formiguinha gostou da sugestão. Ela resolveu ver a vida que a cigarra levava e ficou encantada.

Resolveu viver também como sua amiga. Mas, no dia seguinte, apareceu a rainha do formigueiro e, ao vê-la se divertindo, olhou veio para ela e ordenou que voltasse ao trabalho. Tinha terminada a vidinha boa da formiga.

A rainha das formigas falou então para a cigarra:

- Se não mudar de vida, no inverno você há de se arrepender, cigarra! Vai passar fome e frio.

A cigarra nem ligou, fez uma reverência e comentou:

- Hum! O inverno ainda está longe querida!

Para a cigarra o que importa era aproveitar a vida e aproveitar o hoje, sem pensar no amanhã. Para que construir um abrigo? Para que armazenar alimento? Pura perda de tempo.

Certo dia o inverno chegou, e a cigarra começou a tiritar de frio. Sentia seu corpo gelado e não tinha o que comer. Desesperada, foi bater na casa da formiga. Abrindo a porta, agasalhou-a e deu-lhe uma sopa bem quente e deliciosa.

Naquela hora, apareceu a rainha das formigas que disse à cigarra:

- No mundo das formigas, todos trabalham e se você quiser ficar conosco, cumpra seu dever: toque e cante para todas nós.

Para cigarra e para as formigas, aquele foi o inverno mais feliz de suas vidas.

Adaptado da obra de La Fontaine

• Qual o assunto principal?

• Do que fala esta fábula?

• O que você observou nela?

Atividade de grupo

1) Após a leitura do texto, separar os alunos em pequenos grupos. Nestes grupos os

estudantes devem indicar uma relação de palavras que caracterizam as personagens cigarra e

formiga.

_________________________________________________

_________________________________________________

 _________________________________________________

 _________________________________________________

Atividade integrada com o professor de Arte. Atividade integrada com o professor de Arte. dade integrada com o professor de Arte.

 Confeccionar máscaras dos personagens da fábula A cigarra e a formiga com os alunos.

 Realizar uma dramatização da fábula com os alunos.

Muitos são contra a formiga por ter procedido assim. Mas La Fontaine certamente explicaria que esse defeito é pequeno em face das virtudes, pois é trabalhadeira, diligente e precavida. Já o não foi a cigarra, que nada fez para garantir os dias futuros e lançou mão da mais simples das soluções: pedir emprestado.

A lição de La Fontaine consiste em que devemos cuidar do dia de amanhã, e não contar com

empréstimo para cobrir o que não produzimos. Que cante a cigarra, mas que trabalhe! Essa é a lição. Trabalhando a versão da fábula em forma de poesia: Trabalhando a versão da fábula em forma de poesia:

 A cigarra e a formiga

A cigarra muito faceira

Vivia somente a cantar

Pensando que a vida inteira

Fosse a ela abençoar

A formiga incansável

Pensava só no porvir

Preparava seu arsenal de alimento

Para o inverno que haveria de vir

Um dia as duas se encontraram

E começaram a conversar

A cigarra perguntou a formiga

O porquê de tanto labutar

A formiga respondeu

Na vida há tempo pra tudo

Tu só vives a cantar

Sem se dar conta do mundo.

A cigarra zombeteira

Falou em uma canção

Tu trabalhas a vida inteira

E não sabes o que é diversão.

Tolinhas são vocês

Que só vivem a trabalhar

Não sabem tudo tem a sua hora

Trabalham sem descansar

Enquanto vocês trabalham

Eu curto a vida sorrindo

Não me importando com nada

E você seu trabalho vai carpindo

Cantar faz bem a alma

Cantar alegra o coração

Cantar e tudo que sei

Cantar é para mim uma oração

O inverno chegou com fúria

A formiga tinha para onde ir

A cigarra que cantava morreu de fome e frio

Pois não tinha para onde fugir.

4ª aula

 Afixar o cartaz com a cópia da poesia e ler, em voz alta, apontando as palavras.

 Leitura realizada pelos alunos.

 Agrupar os alunos em duplas, entregar uma cópia da poesia e solicitar que façam a

leitura;

 Conversar com os estudantes sobre versos, estrofes e rimas;

 Pedir que cada dupla leia uma estrofe da poesia;

 Pedir que circulem as palavras que desconhecem o significado;

 Orientar quanto ao uso do dicionário;

 Confeccionar, junto com a turma, um pequeno dicionário da classe

Atividade no Laboratório de Informática ( se houver)

Pesquisar poesias sobre animais.

Digitar as poesias encontradas para montar um livrinho com o resultado da pesquisa realizada

pela turma. Inserir desenhos para ilustrar as poesias.

A cada semana um aluno leva o livrinho para casa para ler com a família.

Atividade de casa 

Pedir que os alunos pesquisem, junto a família, novas poesias para registrar no livrinho.

Roda de conversa Roda de conversa

Conversar com os alunos sobre a pesquisa realizada com a família.

5ª aula

Reler com a turma a fábula A cigarra e a formiga e a poesia trabalhada na aula anterior.

Comparando os textos:

Fábula  Poesia

 Personagens

O que aconteceu no final.

 Atividade em dupla 

Recortar a poesia A cigarra e a formiga em versos e solicitar que, em duplas, os estudantes

montem as estrofes; Peça aos alunos para fazerem uma lista das palavras do texto que rimam (os estudantes devem perceber a relação entre os sons que ouvimos e falamos).

Com o alfabeto móvel montar as palavras do texto que rimam.

 Cabe ao professor:

Realizar atividades de rotina onde o aluno possa produzir e utilizar o alfabeto móvel, refletindo

sobre suas hipóteses de escrita e leitura.

Realizar rotina de leituras diárias: leitura pelo professor, leitura compartilhada (professor e aluno),

leitura coletiva (vinculada ao prazer, à descontração), leitura virtual pelos alunos (pseudo-leitura), leitura dirigida (o aluno utiliza seus conhecimentos para localizar e ler palavras desconhecidas) e leitura individual.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.