A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) atualizou os dados sobre arboviroses em Pernambuco em 2019. O ano encerrou com um aumento de percentual de casos de dengue, zika e chikungunya de 161%, em relação ao ano de 2018. Os casos de dengue aumentaram 163,7% em 2019, quando comparado aos dados de 2018. Os casos de chikungunya aumentaram 145,4% em 2019, quando comparados aos de 2018. Já os casos de zika aumentaram 153,6% em 2019, em relação aos de 2018. O boletim epidemiológico foi antecipado pelo Diario de Pernambuco, na edição do fim de semana.  

Foram notificados em 2019 cerca de 61,5 mil casos de dengue, dos quais 20,4 mil foram confirmados e 23,3 mil descartados. A doença foi registrada em todos os 184 municípios e em Fernando de Noronha. No mesmo período de 20018, foram 23,2 mil casos suspeitos de dengue. Em relação à chikungunya, foram notificados 8,4 mil casos, dos quais 990 foram confirmados e 5,4 mi, descartados. No mesmo período de 2018, tinham sido notificados 3,4 mil casos. 

O zika vírus, que em 2015 foi responsável por alavancar os números das arboviroses, teve 3,8 mil notificados, dos quais houve 108 confirmações e 2,6 mil foram descartados. No mesmo período de 2018, foram notificados 1,5 mil casos. Os óbitos notificados, por sua vez, aumentaram 50% em relação ao mesmo período do ano de 2018. Em 2019, foram notificadas 127 mortes, das quais 13 confirmadas e 65 descartadas. No mesmo período de 2018, foram notificados 80 óbitos. 

 Sobre a situação de infestação de focos do mosquito vetor das arboviroses, o Índice de Infestação Predial do 6º ciclo do LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti) mostrou que Pernambuco fechou o ano com 34 municípios em situação de risco de surto, 91 em situação de alerta e 59 municípios em situação satisfatória.