Cerca de 40% dos pernambucanos vivem com renda de até R$ 420

Desse total, 72,7% são pretas ou pardas - Foto: Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil

Cerca de 40% dos pernambucanos vivem abaixo da linha da pobreza, de acordo com a Síntese de Indicadores Sociais (SIS). Os números foram divulgados nesta quarta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o Instituto, essas pessoas têm renda mensal per capta entre R$ 145 e R$ 420. A pesquisa também revelou que mais de 10% da população pernambucana vive em situação de extrema pobreza, que compreende pessoas que têm renda mensal inferior R$ 145. 

Políticas públicas

Para o gerente do estudo, André Simões, são necessárias políticas públicas para combater a extrema pobreza, pois ela atinge um grupo mais vulnerável e com menos condições de ingressar no mercado de trabalho. “Esse grupo necessita de cuidados maiores que seriam, por exemplo, políticas públicas de transferência de renda e de dinamização do mercado de trabalho. É fundamental que as pessoas tenham acesso aos programas sociais e que tenham condições de se inserir no mercado de trabalho para terem acesso a uma renda que as tirem da situação de extrema pobreza”, disse Simões.

O valor do indicador de pobreza do Bolsa Família, R$ 89, é, inclusive, inferior ao parâmetro global de R$ 145, o que mostra que o benefício não é suficiente para tirar as pessoas da extrema pobreza.

Educação

Pernambuco é o terceiro estado do Brasil com mais jovens entre 15 e 17 anos fora da escola. Os números foram divulgados nesta quarta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o instituto, isso representa 15,4% desse recorte da população.

Em primeiro lugar vem o estado do Acre, com 17,4%, seguido por Alagoas, com 16,8%. Paraná, Maranhão, Espírito Santo e Amapá são os estados seguintes

Extrema pobreza no Brasil

No Brasil, o índice de extrema pobreza apresentou piora nos últimos quatro anos. Ao todo, 13,5 milhões de pessoas no Brasil viviam em 2018 com até R$ 145 por mês, o que corresponde a 6,5% da população, após a mínima de 4,5% em 2014.

O IBGE destaca que no Brasil há mais pessoas em situação de pobreza extrema do que toda a população de países como Bolívia, Bélgica, Grécia e Portugal. Desse total, 72,7% são pretas ou pardas.

Leave a Reply