Como usar glitter no rosto sem ameaçar a pele e a saúde Carnaval é mesmo hora de abusar da purpurina e bastam algumas medidas para preservar os olhos e a pele da face.

“Uma maquiagem, seja qual for, só é indicada quando passa por inspeção da Anvisa” – Reprodução

“Uma maquiagem, seja qual for, só é indicada quando passa por inspeção da Anvisa” – Reprodução

Para vários foliões Brasil afora, quase não há graça em pular carnaval sem abusar de uma boa dose de glitter. Poucos se atentam, no entanto, para a procedência desse tipo de produto, aplicado diretamente na pele. Infelizmente, se não houver cuidados específicos, o material pode, sim, trazer complicações.

Com isso em mente, SAÚDE reuniu orientações de dermatologistas e oftalmologistas sobre a purpurina. Porque curtir a folia com brilho só é bom quando ninguém sai machucado, não é mesmo?

Glitter na pele

“Uma maquiagem, seja qual for, só é indicada quando passa por inspeção da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e contém matérias-primas adequadas para a pele”, alerta, em comunicado à imprensa, a dermatologista Denise Steiner, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

É importante, portanto, observar se a marca do produto foi submetida a testes de controle de qualidade. De quebra, isso afasta alergias e contaminação.

Se mesmo assim você manifestar alguma irritação causada pelo glitter na pele, a doutora sugere que o rosto seja lavado imediatamente com água fria uma compressa de água gelada funciona também. Já os hidratantes são contraindicados nesse tipo de situação.

Related Posts