As contas de energia dos consumidores pernambucanos vão sofrer reajuste a partir de hoje. É que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a atualização tarifária anual da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Para os consumidores residenciais, o aumento direto na conta de energia será de 4,48%. A média de acréscimo para os consumidores de alta tensão será de 5,93%, e os consumidores de baixa tensão pagarão por um reajuste médio de 4,88%. De acordo com a Aneel, o efeito médio para o consumidor será de 5,16%, somando todas essas categorias. 

Os consumidores residenciais abrangem apartamentos e casas, por exemplo. Os de baixa tensão incluem residências, clientes rurais e pequenos comércios. E os de alta tensão são as indústrias. As novas tarifas da Celpe vão atender a 3,75 milhões de unidades consumidoras.

De acordo com a Celpe, os clientes apenas irão perceber uma variação proporcional das tarifas a partir de julho, considerando a data da entrada em vigência e a emissão das faturas. A companhia ainda informou que “o efeito integral do reajuste autorizado pela Aneel será percebido pelos consumidores no decorrer do mês de agosto, quando completa todo o período de leitura após a aplicação do reajuste. ”

Para calcular o valor do reajuste, a agência considera muitas variáveis, como a compra e venda de energia e os pagamentos de encargos. São os custos associados à prestação do serviço, divididos na Parcela A (aquisição e transmissão de energia e os encargos setoriais) e Parcela B (custos gerenciados pela empresa para manter suas atividades). “No reajuste da Celpe, de acordo com análise da Agência, o índice foi impactado principalmente por componentes da Parcela A (custos de energia e transmissão), além da inclusão de componentes financeiros apurados no atual processo”, disse a Aneel.

O reajuste tarifário anual da Celpe ocorreria no dia 29 de abril. No entanto, em função do atual cenário da pandemia do coronavírus e da solicitação da própria companhia, a Aneel adiou para começar a valer hoje.

Como muitos consumidores estão passando mais tempo em casa, inclusive trabalhando na própria residência, é importante manter hábitos de economia de energia (ver infográfico). No fim de maio, a Aneel também informou que até dezembro deste ano a bandeira tarifária será verde, sem adicional de custos na conta do consumidor. O anúncio foi uma medida emergencial para aliviar a conta de luz e auxiliar o setor elétrico em meio ao cenário da pandemia da Covid-19.

Auxílio

Em maio, a Celpe passou a permitir o pagamento da conta de energia para os beneficiários do auxílio emergencial com o Cartão Virtual da Caixa Econômica Federal. A medida também beneficia os clientes de baixa renda cadastrados na Tarifa Social que ultrapassem 200 kwh (Quilowatt-hora). Para realizar o pagamento, é necessário acessar o site da Celpe (www.celpe.com.br) e clicar em “Pagamento com Cartão”. Em seguida, clicar em “Pagamento com Cartão Virtual Caixa Elo (Benefício Emergencial) ”.  

Conta de luz sobe 4,48% para consumidores residenciais de Pernambuco As contas de energia dos consumidores pernambucanos vão sofrer reajuste a partir de hoje. É que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a atualização tarifária anual da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Para os consumidores residenciais, o aumento direto na conta de energia será de 4,48%. A média de acréscimo para os consumidores de alta tensão será de 5,93%, e os consumidores de baixa tensão pagarão por um reajuste médio de 4,88%. De acordo com a Aneel, o efeito médio para o consumidor será de 5,16%, somando todas essas categorias.  Os consumidores residenciais abrangem apartamentos e casas, por exemplo. Os de baixa tensão incluem residências, clientes rurais e pequenos comércios. E os de alta tensão são as indústrias. As novas tarifas da Celpe vão atender a 3,75 milhões de unidades consumidoras. De acordo com a Celpe, os clientes apenas irão perceber uma variação proporcional das tarifas a partir de julho, considerando a data da entrada em vigência e a emissão das faturas. A companhia ainda informou que “o efeito integral do reajuste autorizado pela Aneel será percebido pelos consumidores no decorrer do mês de agosto, quando completa todo o período de leitura após a aplicação do reajuste. ” Para calcular o valor do reajuste, a agência considera muitas variáveis, como a compra e venda de energia e os pagamentos de encargos. São os custos associados à prestação do serviço, divididos na Parcela A (aquisição e transmissão de energia e os encargos setoriais) e Parcela B (custos gerenciados pela empresa para manter suas atividades). "No reajuste da Celpe, de acordo com análise da Agência, o índice foi impactado principalmente por componentes da Parcela A (custos de energia e transmissão), além da inclusão de componentes financeiros apurados no atual processo", disse a Aneel. O reajuste tarifário anual da Celpe ocorreria no dia 29 de abril. No entanto, em função do atual cenário da pandemia do coronavírus e da solicitação da própria companhia, a Aneel adiou para começar a valer hoje. Como muitos consumidores estão passando mais tempo em casa, inclusive trabalhando na própria residência, é importante manter hábitos de economia de energia (ver infográfico). No fim de maio, a Aneel também informou que até dezembro deste ano a bandeira tarifária será verde, sem adicional de custos na conta do consumidor. O anúncio foi uma medida emergencial para aliviar a conta de luz e auxiliar o setor elétrico em meio ao cenário da pandemia da Covid-19. Auxílio Em maio, a Celpe passou a permitir o pagamento da conta de energia para os beneficiários do auxílio emergencial com o Cartão Virtual da Caixa Econômica Federal. A medida também beneficia os clientes de baixa renda cadastrados na Tarifa Social que ultrapassem 200 kwh (Quilowatt-hora). Para realizar o pagamento, é necessário acessar o site da Celpe (www.celpe.com.br) e clicar em “Pagamento com Cartão”. Em seguida, clicar em “Pagamento com Cartão Virtual Caixa Elo (Benefício Emergencial) ”.