Desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido, e testada no Brasil, a vacina contra a Covid-19 poderá ter o registro liberado em junho de 2021, segundo a reitora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Soraia Smaili.

Ao todo, 50 mil pessoas participam dos testes em todo o mundo, 10% delas no Brasil: 2 mil em São Paulo, 2 mil na Bahia e outras 1 mil no Rio de Janeiro. 

“Com a quantidade de pessoas que estão recebendo a vacina no mundo, é possível que tenhamos resultados promissores no início do ano que vem e o registro em junho”, afirmou a reitora, em entrevista à Globonews.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou a vacina de Oxford como a mais adiantada no mundo e, também, a mais avançada em termos de desenvolvimento. 

About The Author

Aldenice Santos

Related Posts