Morre aos 85 anos, o ator Flávio Migliaccio

Flávio Migliaccio tirou a sua própria vida. O corpo do ator foi encontrado na manhã desta segunda-feira (4), em seu sítio, em Rio Bonito, no Rio de Janeiro.

Flavio Migliaccio, Morre aos 85 anos,
Flavio Migliaccio, Morre aos 85 anos,

O ator Flavio Migliaccio de 85 anos, tirou a sua própria vida cometendo ‘suicídio’. Sendo encontrado morto na manhã desta segunda-feira (4 de maio de 2020), em seu sítio, em Rio Bonito, no Rio de Janeiro.

A informação foi confirmada pelo advogado Sylvio Guerra ao jornal O Dia. “Liguei para o Marcelo Migliaccio, filho de Flávio, que disse que recebeu uma ligação do caseiro dizendo que o Flavio tinha falecido. Ele está na estrada, a caminho do sítio, e ainda não sabe a causa da morte do pai”, informou o jurista.

Carta de Flávio Migliaccio

Antes de cometer o ato e Flavio escreveu uma carta a mão e deixou para família em que diz que a humanidade ‘não deu certo’.

ALERTA! Trata-se de um tipo de matéria que provocou polêmica. Fórum mantém a publicação por se tratar de fato jornalístico relevante. E sugere que aqueles que podem não se sentir confortáveis com a leitura da carta ou que podem ser movidos a algum tipo de gatilho não continuem a leitura.

Segundo informações da polícia, e deixou uma carta melancólica à família em que lamenta a situação do país e diz que a humanidade “não deu certo”.

“Me desculpem, mas não deu mais. A velhice neste país é (…) como tudo aqui. A humanidade não deu certo”, escreve o ator no texto, que circula nas redes sociais e foi confirmado como autêntico por um policial à Fórum.

Na carta, o ator diz ainda que teve “a impressão que foram 85 anos jogados fora num país como este e com esse tipo de gente que acabei encontrando”.

“Cuidem das crianças de hoje”, finaliza Migliaccio na carta.

 Carta de  suicídio  de Flávio Migliaccio

Prevenção e sinais de alerta

O suicídio é um fenômeno complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas o suicídio pode ser prevenido! Saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo a você pode ser o primeiro e mais importante passo. Por isso, fique atento(a) se a pessoa demonstra comportamento suicida e procure ajudá-la.

Trajetória de Flávio Migliaccio

O último trabalho dele foi como o Mamede de Órfãos da Terra. Atualmente, um dos personagens marcantes do ator pode ser visto na reexibição de Êta Mundo Bom no Vale a Pena Ver de Novo. Seu último trabalho foi como o Maestro Fego, no especial Hebe, disponível no Globoplay.

Paulistano do Brás, Migliaccio começou no teatro e foi diretor de diversos espetáculos até descobrir sua paixão pela comédia. Atuou e foi roteirista em filmes de sucesso nos cinemas brasileiros. Sua estreia na TV Globo foi na novela O Primeiro Amor, em 1972, com o papel Xerife. Conquistou o público infantil ao participar do seriado Shazan, Xerife & Cia, sucesso na década de 70. Também teve grande destaque nas novelas Rainha da Sucata, Perigosas Peruas, A Próxima Vítima, Senhora do Destino e Passione, entre muitas outras.

Shazan, Xerife e Cia. (de 1972 a 1974)

Uma das séries de TV de maior sucesso dos anos 1970 na TV Globo, Shazan, Xerife e Cia. mostrava as aventuras de Shazan (Paulo José) e Xerife (Flávio Migliaccio), dois atrapalhados mecânicos que aprontavam várias a bordo de sua “camicleta”, um caminhão misturado com bicicleta. A dupla surgiu na novela O Primeiro Amor, de 1972, de Walther Negrão, e agradou tanto o público que ganhou uma série própria.

Os Trapalhões na Terra dos Monstros (1989)

Um dos mais icônicos filmes dos Trapalhões foi dirigido por Migliaccio. Os Trapalhões na Terra dos Monstros reuniu em um mesmo filme os principais artistas do fim dos anos 1980, como Gugu Liberato, Angélica, o grupo Dominó, o cantor Conrado, além dos quatro humoristas, Didi, Dedé, Mussum e Zacarias. No surreal enredo, a trupe cai em um buraco dentro da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, e encontra os grunks, umas bizarras criaturinhas gordinhas. O filme foi uma das maiores bilheterias daquele ano, levando 3,2 milhões de espectadores aos cinemas.

Caminho das Índias (2009)

Flávio Migliaccio se notabilizou por interpretar papeis de personagens estrangeiros. Em Caminho das Índias, ele deu vida ao Tio Karan, um dos muitos integrantes da família de indianos formada por Laksmi (Laura Cardoso), Anusha (Karina Ferrari), Chanti (Carolina Oliveira) e Raj (Rodrigo Lombardi).

Tapas & Beijos (de 2011 a 2015)

Com Fernanda Torres e Andréa Beltrão, a série Tapas & Beijos fazia graça com a história de duas mulheres que trabalhavam em uma loja de aluguel de vestidos de noivas e nunca se davam bem no amor. No elenco de apoio, outros atores ajudavam a povoar a história, ambientada em Copacabana, como Vladimir Brichta, Fernanda Freitas, Otávio Müller, Natália Lage, Evandro Mesquita e Flávio Assunção. Migliaccio interpretava Seu Chalita, um mal-humorado dono de uma lanchonete árabe que, com um indefectível sotaque árabe, dava dicas (e esfirras) para os personagens.

Órfãos da Terra (2019)

Em sua última novela, que abordava a situação de refugiados no Brasil, Migliaccio interpretou Mamede Al Aud, um imigrante palestino ranzinza que mantinha uma cômica rivalidade com seu vizinho judeu Bóris (Osmar Prado). Para piorar, seu neto se apaixonou por Sara, neta de Bóris e, para evitar o romance, ele trouxe de volta de sua terra natal a jovem Latifa, para rivalizar com a jovem filha do seu inimigo.

About The Author

Related Posts