Premiação foi criada em 2003 pelo governo norueguês com o objetivo de compensar a ausência de um Prêmio Nobel para área.

O Prêmio Abel de Matemática foi atribuído pela primeira vez a uma mulher, a americana Karen Uhlenbeck, especialista em equações derivadas parciais, de acordo com anúncio feito pela Academia Norueguesa de Ciências e Letras.

Americana de 76 anos é a primeira mulher a receber Prêmio Abel de matemática

“Karen Uhlenbeck recebe o Prêmio Abel 2019 por seu trabalho fundamental em análise geométrica e teoria de calibre, que transformou dramaticamente o cenário matemático”, afirmou o presidente da comissão Abel, Hans Munthe-Kaas.

“Suas teorias revolucionaram nossa compreensão de superfícies mínimas, como a formada por bolhas de sabão, e problemas de minimização gerais em dimensões mais altas”, acrescentou.

Uhlenbeck, de 76 anos, é professora visitante na Universidade de Princeton e professora associada do Instituto de Estudos Avançados (IAS) dos Estados Unidos.

Nascida em Cleveland, “desenvolveu técnicas e métodos de análise global que estão atualmente na caixa de ferramentas de cada geômetra e analista”, indicou a Academia Norueguesa de Ciências e Letras.

Também é uma ativista em favor da igualdade de sexos nas ciências e matemáticas.

É a primeira mulher a receber o Prêmio Abel, criado em 2003 pelo governo norueguês com o objetivo de compensar a ausência de um Prêmio Nobel para matemática.

O prêmio é uma homenagem ao matemático norueguês Niels Henrik Abel (1802-1829) e é dotado com seis milhões de coroas (R$ 2,6 milhões), sendo uma das mais prestigiosas distinções no mundo das matemáticas, junto com a Medalha Fields.

Com informações do G1.