As Procuradorias Gerais de sete estados do Nordeste, incluindo Pernambuco, ingressaram no Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira (12), com uma ação conjunta pedindo que a Justiça determine ao Governo Federal a correção do represamento e distorção na concessão de novos benefícios do Programa Bolsa Família às famílias nordestinas. O ministro Marco Aurélio Mello ficou responsável pelo julgamento da ação.

As PGEs também solicitaram que a União apresente um cronograma para concessão de novos benefícios na região. Na petição, foi ressaltado que o cronograma deve contemplar os brasileiros que necessitam do programa e que residem no Nordeste.

O procurador-geral do Estado de Pernambuco, Ernani Medicis, afirma que a ação é necessária diante da falta de transparência sobre a queda de concessões de novos benefícios a famílias nordestinas e da disparidade em relação ao que foi liberado para outras regiões.

About The Author

Related Posts