A mulher de 20 anos, após mata a filha, enterra o corpo de cabeça para baixo e vai beber. Depois volta duas vezes ao local para se certificar se ela realmente estava morta.

No último sábado (21 de março de 2020), uma mãe matou sua filha de 10 anos na cidade de Brasilândia município no Mato Grosso do Sul. Emileide Magalhães, de 30 anos, estrangulou a própria filha de apenas 10 anos e a enterrou viva de cabeça para baixo.

Conforme o constatado e registrado pela polícia, a menina foi enterrada em uma propriedade rural, localizada nas proximidades do lixão, distante cerca de cinco quilômetros do perímetro urbano de Brasilândia.

Frieza

Segundo a versão que a mãe relata para a polícia ao confessar o crime, por volta de 17h do sábado, ela teria saído de carro com a filha, Gabrielly e o filho mais velho, de 13 anos. Todos foram até a praça do Ginásio e lá mandou o filho mais velho embora e saiu de carro com a filha. Após trafegar por aproximadamente cinco quilômetros, da cidade, ela entrou em uma estrada vicinal, onde seguiu por mais alguns metros, quando parou o veículo e estrangulou a filha com um fio. Em seguida, enterrou o corpo da criança de cabeça para baixo e foi embora.

Após o crime foi beber cerveja

A mulher disse ainda aos policiais que após a execução retornou à cidade, parando em uma loja de conveniência, para tomar cerveja. Algum tempo depois, retornou até o local do crime para “conferir” se a filha estava morta. No local, teria percebido que a criança ainda estava viva, se debatendo.

Para se certificar que a filha realmente morreria, Emileide jogou mais terra sobre o corpo e novamente voltou para a cidade, desta vez não parando em nenhum local, passando a circular sem rumo definido. A mulher detalha ainda que passado algum tempo, mais uma vez ela se dirigiu ao local do crime e desta vez enterrou o corpo para novamente conferir se a filha estaria de fato morta.

Após constatar que a filha estava morta, Emileide foi até sua casa, tomou banho e foi para a Delegacia da Polícia Civil onde registou um boletim de ocorrência de desaparecimento da criança.

Procurou a PM e confessou

Após algumas horas, já na madrugada do domingo (22), a mulher foi até o Pelotão da Policia Militar de Brasilândia sendo atendida pelo cabo PM Roger, para quem confessou o crime. O policial, ainda incrédulo acionou via rádio seu superior, o sargento Luciano, que retornou ao Pelotão e de a equipe seguiu com a mulher ao local que enterrou o corpo.

Constatado crime, a Polícia Civil foi acionada e assumiu o caso com a prisão da mulher, levantamentos de local com a Perícia e remoção do corpo para o IML.

Abusada pelo padrasto?

Questionada pela polícia sobre a motivação do crime brutal contra a própria filha, Emileide preferiu manter-se calada. Na cidade comentários nos grupos de WhatApp relatam que a menina era abusada pelo padrasto e que esse era um dos motivos que a levou tirar a vida da filha, não se sabe se por ciúmes ou para proteger o marido.

O delegado titular de Brasilândia, Thiago Passos, disse ao portal Perfil News, que o filho da mulher, de 13 anos, está apreendido na delegacia e pode ter ajudado a mãe a cometer o crime. A hipótese ainda está sendo investigada sendo que Passos afirmou ainda, que a mulher será transferida imediatamente para o Presídio Feminino de Três Lagoas.

Fonte: MS em Foco