O cantor Nego do Borel entrou na Justiça com um pedido de liminar contra a ex-noiva, a influenciadora digital Duda Reis, para que posts contra ele nas redes sociais dela fossem apagados. Segundo o site Notícias da TV, a Justiça carioca negou o pedido.

“Sem adentrar no mérito, entendo que, atualmente, diante de crescentes quantidades de casos de feminicídio, não se pode admitir qualquer utilização de meios jurídicos para que o suposto ofensor possa desqualificar os relatos de sua ex-companheira”, diz a decisão assinada pelo juiz Marco Antonio Cavalcanti de Souza, da 4ª Vara Cível do Rio de Janeiro.

O juiz continua dizendo que o pedido de Nego do Borel fere a liberdade de expressão de Duda: “Entendo que ao deferir a tutela de urgência, em cognição sumária, estaria afrontando a garantia fundamental à liberdade expressão, sobre fatos ilegais e abusivos, que serão minuciosamente investigados pelo Juízo Criminal, em detrimento ao direito de imagem de personagem público”.

Cavalcanti de Souza ainda citou a entrevista dada por Nego do Borel e por Duda Reis ao Fantástico deste domingo (17/1): “De se acrescer que os fatos, que o autor afirma ‘manchar’ sua boa imagem, foram objeto de programa dominical de grande emissora de televisão, no dia de ontem, não se vislumbrando, nos vídeos, um malferimento do direito à imagem do autor.”

Por conta das denúncias de agressão que Duda fez de Nego do Borel, a Justiça estabeleceu medidas protetivas contra o cantor.O cantor Nego do Borel entrou na Justiça com um pedido de liminar contra a ex-noiva, a influenciadora digital Duda Reis, para que posts contra ele nas redes sociais dela fossem apagados. Segundo o site Notícias da TV, a Justiça carioca negou o pedido.

“Sem adentrar no mérito, entendo que, atualmente, diante de crescentes quantidades de casos de feminicídio, não se pode admitir qualquer utilização de meios jurídicos para que o suposto ofensor possa desqualificar os relatos de sua ex-companheira”, diz a decisão assinada pelo juiz Marco Antonio Cavalcanti de Souza, da 4ª Vara Cível do Rio de Janeiro.

O juiz continua dizendo que o pedido de Nego do Borel fere a liberdade de expressão de Duda: “Entendo que ao deferir a tutela de urgência, em cognição sumária, estaria afrontando a garantia fundamental à liberdade expressão, sobre fatos ilegais e abusivos, que serão minuciosamente investigados pelo Juízo Criminal, em detrimento ao direito de imagem de personagem público”.

Cavalcanti de Souza ainda citou a entrevista dada por Nego do Borel e por Duda Reis ao Fantástico deste domingo (17/1): “De se acrescer que os fatos, que o autor afirma ‘manchar’ sua boa imagem, foram objeto de programa dominical de grande emissora de televisão, no dia de ontem, não se vislumbrando, nos vídeos, um malferimento do direito à imagem do autor.”

Por conta das denúncias de agressão que Duda fez de Nego do Borel, a Justiça estabeleceu medidas protetivas contra o cantor.

About The Author

Related Posts