Nordestino bate recorde com viagem pelo mundo em 543 dias

Anderson Dias, de 26 anos, completou o feito no último domingo (23), quando desembarcou no Recife vindo de Cabo Verde. Agora, depois de visitar 196 países, ele pretende inspirar outras pessoas.

Nordestino bate recorde com viagem pelo mundo em 543 dias

Um ano, cinco meses e 27 dias. Esse foi o tempo necessário para que Anderson Dias, de 26 anos, quebrasse o recorde da americana Taylor Demobreum e se tornasse o primeiro turista a percorrer todo o mundo em uma única viagem. Foram 196 países, com hábitos e realidades diferentes. Anderson procurou se adaptar a cada um deles. “Eu estudava tudo sobre história, culinária, cultura, para chegar ao país sabendo como falar como eles [os nativos]. Se o povo era mais ‘frio’, chegava mais tranquilo. Se era um povo mais ‘quente’, já chegava tocando, abraçando. Essa adaptabilidade foi muito importante para entrar e sair de cada lugar”, revela.

Nordestino bate recorde com viagem pelo mundo em 543 dias

O recorde de 543 dias, completado no último domingo (23), quando desembarcou no Aeroporto do Recife vindo de Cabo Verde, será registrado no Guiness Book pelo empreendedor, que só fez nascer em Salvador, na Bahia, mas cresceu em Caruaru e mora no Recife há nove anos. O impulso de se aventurar vem desde os 17 anos, quando resolveu se mudar sozinho da maior cidade do interior para a Capital do Estado. “Vim sem grana, comecei a vender livros e brinquedos nas comunidades e, aos 21, passei a vender capinhas de celular em ônibus e shoppings”, lembra.

Decidido a estudar inglês na Europa, Anderson entendeu que precisava se “sacrificar” e, em três meses, juntou R$ 30 mil para fazer o intercâmbio. “Trabalhava 16 horas por dia e fazia uma refeição. O pessoal me emprestava a carteirinha do Sesc e eu subia escondido para almoçar [no restaurante restrito aos comerciários]. Gastava o mínimo possível. Passava o dia inteiro tomando água e fui para o intercâmbio bem magrinho, com 62 kg”, recorda. Com as economias que guardou, o jovem embarcou para a Irlanda, de onde viajou para oito países.

De volta ao Recife, seis meses depois, ele retornou à venda de capinhas e montou uma loja em um empresarial no Centro do Recife. No ponto, também fazia conserto de celular. Anderson permaneceu à frente do negócio por dois anos. “Mudei de vida, comprei um carro, mas estava na zona de conforto. Era simplesmente mais uma pessoa normal, mas algo lá dentro me dizia que tinha uma missão e aí tive um sonho de que viajava de avião para algum lugar que não sabia qual era”, conta. Com essa imagem na cabeça, vendeu a empresa e o carro, juntos, por R$ 130 mil. Criou uma conta do projeto no Instagram, 196 Sonhos, e botou a mochila nas costas.

O dinheiro só durou os três primeiros meses de viagem. Para concluir o desafio, Anderson diz que usou apenas as redes sociais, fechando parcerias com várias marcas, que pagavam por um espaço em sua página, hoje com mais de 1 milhão de seguidores. Dessa forma, chegou aos R$ 600 mil de que precisava. Para ele, as maiores surpresas foram os países do Oriente Médio e da Ásia Menor. “O Afeganistão tem as paisagens de neve e montanha mais bonitas do planeta”, comenta.

Hoje, cheio de histórias na bagagem, o empreendedor planeja inspirar outras pessoas, começando por uma palestra que fará no Teatro Guararapes em janeiro, com ingressos a R$ 70. “Quero impactar positivamente as pessoas, fazendo eventos em que serão abordadas questões como motivação e empreendedorismo”, explica.

Leave a Reply