Já faz tempo que os cientistas vêm tentando desenvolver um método contraceptivo seguro e eficaz para homens. Isso porque, apesar da popularidade e da efetividade da pílula para evitar gravidezes indesejadas, o medicamento pode causar uma variedade de efeitos colaterais, como dores de cabeça, náusea e variações de humor. Sem falar que o uso contínuo pode aumentar o risco de que as mulheres desenvolvam problemas de saúde sérios, como a hipertensão, a trombose e o câncer de mama.

No caso dos homens, embora existam alguns medicamentos e tratamentos em estudo, as opções contraceptivas disponíveis atualmente são, basicamente, os preservativos, que oferecem proteção em curto prazo, mas não são necessariamente muitos seguros para prevenir a gravidez indesejada, ou a vasectomia, que, apesar de segura e reversível em determinados casos, de modo geral consiste em uma solução permanente ou, no mínimo, de longo prazo.

Novidade

O que os cientistas trabalhando no novo método pretendem oferecer é um contraceptivo eficaz, seguro e reversível em médio prazo. O curioso, no entanto, é de onde os pesquisadores da Universidade Nanchang, na China tiraram a inspiração para desenvolver o “anticoncepcional”! Sabe aqueles drinks em que ingredientes de diferentes densidades formam camadas coloridas no copo? Então! Os pesquisadores se basearam em uma bebida dessas, chamada “Galaxy”.

Drinks coloridos viram inspiração para novo “anticoncepcional” masculino

De acordo com Kristy Hamilton, do site IFLScience, o método desenvolvido pelo cientista Xiaolei Wang e sua equipe que nós aqui do Mega achamos que deviam estar bebendo em um bar quando tiveram a ideia do anticoncepcional, consiste em injetar quatro materiais diferentes em camadas para bloquear a estrutura responsável por levar o esperma à uretra, o canal deferente.

As quatro camadas seriam compostas primeiro por um hidrogel, que funcionaria como uma barreira para o esperma, depois, nanopartículas de ouro, em seguida, um material capaz de matar espermatozoides e diluir o hidrogel chamada ácido etilendiaminotetraacético (EDTA), e, por último, outra camada de nanopartículas de ouro.

O truque aqui é que o hidrogel se solidifica no canal deferente, assim como as nanopartículas quando atingem a temperatura de 37 °C, e ambas as camadas acabam vedando o ácido matador de espermatozoides no interior do ducto. Esse “bloqueio contraceptivo” teria duração de 2 meses, mais ou menos, e, caso fosse necessário reverter a ação do método, bastaria aplicar calor por meio de lâmpadas infravermelhas; assim, em poucos minutos, os materiais sólidos se dissolveriam, as camadas se misturariam e o canal seria desbloqueado.

Segundo Kristy, os cientistas realizaram experimentos com ratinhos de laboratório e tiveram excelentes resultados, tanto na contracepção como na reversão do método. Eles explicaram que serão necessários mais estudos para comprovar a segurança dos materiais usados e conduzir testes com outras espécies de animais – como coelhos, porcos e cães – antes de passar aos ensaios com humanos, mas estão confiantes de que o bloqueio logo se converterá em uma opção para homens que não desejem engravidar suas parceiras. Vale lembrar que o método não evita a transmissão de DSTs, portanto não é indicado para indivíduos que não se encontram em relacionamentos fixos e exclusivos.

Drinks coloridos viram inspiração para novo “anticoncepcional” masculino

Leave a Reply