A Secretaria Estadual de Saúde registrou, neste domingo (20), 475 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados, 22 (5%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os outros 453 (95%) são leves, ou seja, pacientes que não demandaram internamento hospitalar. Agora, Pernambuco totaliza 141.517 casos confirmados, sendo 26.054 graves e 115.463 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 123.023 pacientes recuperados da doença. Destes, 16.126 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 106.897 eram casos leves.

Também foram confirmados laboratorialmente 12 óbitos (sendo 4 do sexo masculino e 8 do sexo feminino). Os novos óbitos confirmados são de pessoas residentes nos municípios de Aliança (1), Bezerros (1), Cabo de Santo Agostinho (1), Caruaru (1), Escada (1), Igarassu (1), Mirandiba (1), Petrolina (1), Recife (1), Santa Cruz da Baixa Verde (1), Trindade (1) e Vitória de Santo Antão (1). Com isso, o Estado totaliza 8.016 mortes pela doença.

As mortes registradas no boletim deste domingo ocorreram entre 30 de abril e 19 de setembro. Do total de mortes do informe de hoje, um ocorreu no mês de abril e cinco ocorreram em maio.

Os pacientes tinham idades entre 51 e 88 anos. As faixas etárias são: 50 a 59 (3), 60 a 69 (1), 70 a 79 (6), 80 anos ou mais (2). Dos 12 pacientes que vieram a óbito, 5 apresentavam comorbidades confirmadas: doença cardiovascular (3), diabetes (2), doença renal crônica (2), doença respiratória (1), lúpus (1), hipertensão (1), tabagismo (1) e obesidade (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Um paciente não apresentava comorbidades e os demais estão em investigação. 

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 21.621 casos foram confirmados 35.341 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.