No combate ao coronavírus, a população tem recorrido a soluções caseiras e artesanais para impedir a rápida disseminação da doença. Recentemente, a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde começaram a orientar as pessoas a usarem máscaras caseiras, pois podem funcionar como barreiras na propagação do vírus.

De acordo com Maurício Cavalcante, clínico geral do Hapvida, qualquer tipo de proteção é válida nesse momento. “Durante algum tempo, o uso de máscaras era indicado apenas para as pessoas que apresentavam os sintomas. Mas, para os assintomáticos, toda forma de proteção é muito bem-vinda, e as máscaras caseiras têm se mostrado grandes aliadas”, afirmou.

Maurício Cavalcante explicou também que as máscaras caseiras ajudam a proteger principalmente do contágio via gotícula oral ou nasal. “Existem as máscaras que protegem do contágio via aerossol e as máscaras que protegem do contágio via gotículas. O contágio através das gotículas é mais frequente, e as máscaras caseiras protegem desse tipo de contaminação”, reforçou. Alguns tecidos são mais indicados para a confecção das máscaras artesanais: tricoline, sarja, TNT, algodão, entre outros. “Tratando-se de uma fabricação caseira, sabemos que a produção é realizada no improviso. Mas é importante que o tecido utilizado não tenha uma superfície porosa e seja impermeável”, destacou.

Máscaras artesanais servem como uma barreira física contra o novo coronavírus


Em entrevista à Folha de Pernambuco, Camila Martins, infectologista do Hospital Jayme da Fonte, alertou que o uso das máscaras artesanais não é eficiente para os profissionais de saúde. Ela também chamou a atenção para o tempo de uso das máscaras. “Cada máscara deve ser usada por cerca de duas horas. Vale lembrar que o uso é individual, ou seja, elas não devem ser compartilhadas. O ideal é que cada pessoa tenha, pelo menos, duas máscaras de tecido”, advertiu. Após o uso, também é preciso ter cuidado na hora de retirar a proteção, evitando encostar na parte da frente com as mãos e o rosto. Quanto à reutilização, a infectologista ensinou o processo de higienização. “O produto deve ser lavado com água e sabão e deve ficar de molho em uma uma solução água com hipoclorito de sódio, a popular água sanitária, por cerca de 20 minutos. A proporção da solução é de uma colher de sopa de hipoclorito de sódio para cada meio litro de água”, concluiu.

De acordo com o Ministério da Saúde, para ter a eficiência esperada, a máscara caseira deve seguir algumas especificações, como o número de camadas, que deve ser de no mínimo duas. É importante também que a máscara cubra totalmente o nariz e a boca, sem deixar espaços nas laterais. Todas as recomendações estão no site do Ministério, em um manual que ensina como fazer e como utilizar.

About The Author

Aldenice Santos

Related Posts