Um jovem de 18 anos foi preso, em flagrante, por suspeita de matar a facadas uma garota de 19 anos, na tarde de segunda-feira (22/2), em São Paulo. O acusado afirmou à polícia que teria conhecido Ingrid Oliveira pela internet um mês antes do crime.

Ela era conhecida como “Sol” e integrava o time FBI E-Sports, jogando profissionalmente Call of Duty: Mobile, um jogo de tiro para celulares. O suspeito participava de outra equipe, o Gamers Elite e os dois teriam se conhecido durante partidas do game on-line.

De acordo com o “portal G1”, em nota, a Gamers Elite disse que o acusado enviou um vídeo com imagens da jovem morta no grupo da organização. Os responsáveis afirmam que avisaram as autoridades e pediram para que os integrantes do grupo não compartilhassem o vídeo. 

A equipe afirma ainda que nunca viu o jogador pessoalmente e que “não compactua com qualquer criminoso de nenhum modo e jamais irá compactuar ou fazer apologias ao mesmo.”

Segundo o Boletim de Ocorrência, policiais militares foram chamados para atender o caso de uma mulher esfaqueada. Quando chegaram na casa do suspeito, encontraram a vítima com diversas facadas. A morte da jovem foi constatada por uma equipe de resgate.

Após cometer o crime, o acusado fugiu. O irmão dele contou à polícia que chegou em casa e encontrou a jovem já desmaiada e afirmou aos agentes que não a conhecia.

O suspeito chegou a entrar em contato com familiares dizendo que iria cometer suicídio, mas foi convencido a se entregar. Cerca de 30 minutos depois de matar a jovem, ele compareceu a um distrito policial e confessou o crime. Disse, também, que escreveu um livro para explicar os objetivos de seu ato. A Polícia Civil conseguiu uma cópia do suposto livro, que foi anexada ao inquérito.

Os familiares da vítima não souberam dizer se a jovem tinha um relacionamento com o suspeito. Diário de Pernambuco

About The Author

Related Posts